09/03/15

25 DESCOBERTAS INCRÍVEIS SOBRE O UNIVERSO


Se dermos um sumiço nos átomos, seres vivos, planetas, constelações, galáxias, tudo, tudo mesmo, o universo continuaria pesando três quartos do que pesava antes – ou seja, restarão ainda 73% da sua massa original.

Nada supera a velocidade da luz. Com velocidade aproximada de 300 mil quilômetros por segundo, ou 299 792 458 metros por segundo, ela é capaz de dar 7,4 voltas na Terra em um rápido piscar de olhos. A velocidade da luz é usada como parâmetro para medir as distâncias do universo.

Um ano-luz é a distância que a luz percorre em um ano. Se uma estrela está a uma distância de 90 anos-luz, a luz que vemos hoje levou 90 anos para chegar até aqui. Isso significa que ao observar essa estrela, estamos observando um fenômeno ocorrido há nove décadas.

O tempo passa mais devagar para uma pessoa que está numa espaçonave viajando na velocidade da luz do que para uma que está estacionada na Terra.

Para continuar lendo clique aqui.


06/03/15

22 INFORMAÇÕES CURIOSAS SOBRE O HAITI


O Haiti divide com a República Dominicana a ilha de Hispaniola, a segunda maior ilha do Caribe. A ilha de Hispaniola é também chamada de Ilha de São Domingos.

O primeiro europeu a aportar na ilha de Hispaniola foi o descobrir Cristóvão Colombo. Aliás, foi lá que ocorreu a descoberta da América.

Os nativos do Haiti eram os tainós, um povo que chamava a sua terra de Ayti, que significa “Terra de Montanhas”. Foi daí que surgiu o nome do país.

A imensa maioria dos haitianos é descendente de escravos africanos levados para o Caribe pelos colonizadores franceses.

O Haiti é ao lado de nações como Canadá (região de Quebec) e Guiana Francesa, um dos poucos países da América onde a língua oficial é o francês. Outra língua oficial é o crioulo, falado por quase 90% da população.

Quase 90% das palavras do crioulo são de origem francesa. O detalhe é que ela possui um vasto número de palavras de origem indígena e africana (iorubá, fon, ewé...).

O Haiti foi o segundo país do continente a conseguir a independência, depois dos Estados Unidos. O movimento de independência começou com uma revolta de escravos contra os senhores franceses.

Com apenas 9,8 milhões de habitantes, o Haiti tem menos gente do que a Grande São Paulo. O que mais chama a atenção, no entanto, é que metade da população nasceu depois de 1990.

Com 1,2 milhão de habitantes, Porto Príncipe é a cidade mais populosa do país. Outras cidades com grande contingente populacional: Carrefour, Delmas e Pétionville.

O Haiti é o país mais pobre do continente americano, e um dos mais pobres do mundo. Oitenta por cento dos haitianos vivem em pobreza absoluta. Apenas 53% da população sabe ler e escrever.

A maior parte da população do país – em torno de 79% – ainda vive em áreas rurais.

Os pobres gastam entre 60% e 70% da renda com alimentos. Entre 25% e 40% das crianças haitianas são desnutridas.

Em virtude da pobreza e falta de perspectivas, milhões de haitianos migraram para outros países. Tanto é que existem grandes contingentes de imigrantes nos Estados Unidos, Canadá, República Dominicana, Cuba, França e Brasil.

Os haitianos que migram para o Brasil normalmente entram no país através do Acre. De lá, eles seguem para estados como São Paulo e Paraná.

O terremoto que devastou o Haiti em 2010 – especialmente a região de Porto Príncipe, cabe aqui lembrar – afetou mais de 2 milhões de haitianos e matou entre 100 mil e 200 mil pessoas. Segundo as autoridades do país, 80 mil corpos foram enterrados em valas comuns.

O Haiti é um dos países mais sujeitos a desastres naturais do hemisfério ocidental. Os furacões, por exemplo, são frequentes. A temporada de furacões de 2008 foi uma das mais devastadoras da história, destruindo quase 70% da lavoura haitiana.

Acredite se quiser, mas as florestas originais do Haiti foram completamente destruídas. Os animais nativos são quase inexistentes. As principais causas da devastação foram a agricultura improdutiva e a extração de madeira para a indústria carvoeira.

Porto Príncipe é uma cidade pobre. Cinco anos depois do terremoto que devastou a região, a quantidade de escombros ainda era grande. Outro detalhe que não passa despercebido: o lixo acumulado nas ruas. A coleta é inexistente, o que faz do haitiano um povo cercado de lixo.

A maioria dos haitianos segue a o catolicismo romano, seguido do protestantismo e outras religiões. Grande parte da população, no entanto, participa de rituais de uma religião de origem africana, como o nosso candomblé: o vodu.

Após a morte do líder da independência Toussaint L´Ouverture, o país passou a ser governado por Jean-Jacques Dessalines, que se proclamou imperador haitiano e mandou matar a maioria dos europeus que ainda viviam lá.

Um dos passatempos preferidos dos haitianos é a rinha de galos. O dono do galo vencedor ganha menos de US$ 100 por luta, valor considerado uma fortuna num país onde a população vive em pobreza absoluta.

É difícil de acreditar, mas os haitianos não costumam acenar a mão quando se despedem de uma pessoa. Isso porque as milícias da família Duvalier – uma dinastia de ditadores – tinha por hábito apontar o dedo para os opositores e agitar as mãos na altura do pescoço para indicar que eles seriam executados.

Outra interessante curiosidade: os homens haitianos não andam sem camisa. Durante a era colonial, só os escravos andavam descamisados. Por isso, os haitianos vinculam a falta dessa vestimenta à sofrida época da escravidão.



Fontes: Wikipédia, Terra, Enciclopédia Ilustrada Folha, Almanaque Abril, O Globo.
 

05/03/15

COISAS INCRÍVEIS SOBRE O SAUDOSO ANO DE 1980


O principal evento do ano de 1980 foi a olimpíada de Moscou, na então União Soviética. Milhões de pessoas se emocionaram com a bela e bem organizada abertura. Mas um fato deu muito o que falar durante os jogos: a ausência dos Estados Unidos. Os norte-americanos boicotaram os Jogos Olímpicos em protesto contra a invasão do Afeganistão pela União Soviético. O que eles não imaginariam é que quatro anos depois, os soviéticos revidariam boicotando a olimpíada de Los Angeles.

O Brasil era uma nação essencialmente católica. Para muitos brasileiros da época, o maior evento do ano foi a visita do papa João Paulo II ao país. Milhares de pessoas participaram das missas em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador cantando “A benção João de Deus/Nosso povo te abraça/Se tu vens em missão de paz/Sê bem-vindo e abençoa esse povo que te ama”.

Para os fãs de música – especialmente do rock dos anos 60 –, nenhum evento mexeu mais com o mundo do que o assassinato de John Lennon. O ex-Beatle foi morto a tiros de revólver na porta do edifício onde morava na cidade de Nova York.

Já para a ciência nenhum evento foi mais impactante do que a erupção do monte Santa Helena, no estado de Washington, Estados Unidos. A força da erupção foi tamanha que parte da montanha simplesmente desabou, destruindo quase tudo ao seu redor.

Dois fatos ocorridos entre o final dos anos 70 e início dos 80 chamaram pouco a atenção da imprensa da época, mas foram cruciais para o desenrolar de uma série de acontecimentos futuros: a fundação do sindicato Solidariedade na Polônia e do Partido dos Trabalhadores no Brasil.

Os Estados Unidos tentam resgatar um grupo de cidadãos norte-americanos em poder de sequestradores no Irã. A operação fracassa e gera uma séria entre ambos os países, que haviam cortado relações com a Revolução Islâmica do final dos anos 70.

Em grave crise financeira, a TV Tupi – canal 4 em São Paulo – fechou definitivamente as portas. Foi uma grande perda para a televisão brasileira, uma vez que a Tupi foi a primeira emissora a entrar no ar no país. Pouco tempo, o canal 4 seria ocupado pela TV (atual SBT), uma emissora do Grupo Silvio Santos.

Uma das novidades de 1980 foi o surgimento do canal de TV norte-americano CNN – Cable News Network. A CNN foi o primeiro canal do mundo com conteúdo exclusivamente jornalístico. Ela passou a transmitir notícias 24 horas por dia, algo então impensável para a maioria das pessoas. Suas imagens rodaram o mundo, especialmente durante a Guerra do Golfo, quando o Iraque do então presidente Saddam Husseim invadiu o vizinho Kwait.

Milhares de pessoas lotaram o estádio do Maracanã para assistir uma apresentação do cantor norte-americano Frank Sinatra. Mas o maior vendedor de discos daquele ano foi a cantora brasileira Rita Lee. Ex-integrante do grupo Mutantes, Rita lotou casas de espetáculos com o show Lança Perfume. Suas músicas foram tema de abertura de novelas e programas de televisão. Mania de Você, Lança Perfume, Cor de Rosa Choque e Chega mais alguns dos sucesso de Rita daquele período.

Da músicas mais tocadas nas rádios, vale destacar Balancê, de Gal Costa; Another Brick in the Wall, do Pink Floyd; Momentos, de Joanna; Meu Bem Querer, de Djavan; Frevo Mulher, de Amelinha; Foi Deus Quem Fez Você, também de Amelinha; Porto Solidão, de Jessé; Geni e o Zepelim, de Chico Buarque; Noturno, de Fagner; e Moskou, do grupo Gengis Khan.

Por falar em música, não podíamos esquecer do festival MPB-80. Exibido pela Rede Globo com o intuito de reavivar os festivais da música dos anos 60, o MPB-80 fez um sucesso tremendo. Nem a Globo esperava tamanha repercussão. A música vencedora foi Agonia, de Oswaldo Montenegro. O público, no entanto, caiu de paixão por outras duas concorrentes: Foi Deus Quem Fez Você, de Amelinha, e Porto Solidão, interpretada por Jessé.

Enquanto a concorrente Tupi virava escombros, a Globo vivia o apogeu. Muitas das suas mais lendárias produções foram lançadas em 1980. Foram os casos do programa matinal TV Mulher, do musical A Arca de Noé e do seriado O Bem-Amado. O TV Mulher era um programa totalmente dedicado ao público feminino, especialmente donas de casa. Tinha a música Cor de Rosa Choque de Rita Lee como tema de abertura. A apresentação ficou a cargo de Marília Gabriela e Ney Gonçalves Dias. A TV Mulher apresentava quadros sobre moda, com Clodovil Hernandez, beleza, com Ala Zserman, sexo, com Marta Suplicy e horóscopo, com Leiloca (cantora do grupos As Frenéticas).

Também chamado na emissora de Vinícius para Crianças – A Arca de Noé, o musical A Arca de Noé reuniu diversos cantores da MPB para interpretar poemas de Vinícius de Moraes, morto em julho daquele ano. O musical virou disco um disco de grande vendagem e inspirou outros projetos semelhantes.

Com os atores Paulo Gracindo e Lima Duarte como protagonistas, a série o Bem-Amado foi inspirada na novela de mesmo nome, exibida anos antes pela própria Globo. Contava as trapalhadas do prefeito Odorico Paraguassú, da cidade fictícia de Sucupira (a maior obsessão de Odorico era inaugurar o cemitério da cidade). Assim como a TV Mulher e os festivais da música, O Bem-Amado foi exibido por vários anos.

O Brasil inteiro queria saber quem matou Miguel Fragonard, personagem de Raul Cortez na novela de maior audiência da virada 1979-1980: Água Viva (música de abertura: Menino do Rio, de Baby Consuelo). Sua substituta foi Coração Alado (que tinha como música de abertura Norturno, de Fagner). Outras novelas exibidas naquele ano: Olhai os Lírios do Campo, Chega mais, As Três Marias, O Todo Poderoso, A Deusa Vencida (as duas últimas exibidas pela TV Bandeirantes).

O campeão de bilheteria de 1980 foi o filme A Lagoa Azul, com a atriz britânica Brooke Shields. O segundo lugar foi para o polêmico O Império dos Sentidos, um filme com alto teor pornográfico. Além deles, os brasileiros assistiram Fama, Em Alguns Lugar do Passado (com o astro Christopher Reeves, intérprete de Superman), Touro Indomável, Xanadu, Gente como a Gente, Disque M para Matar e Sexta-feira 13.

Entre os filmes brasileiros, vale destacar Bye Bye Brasil, de Cacá Diegues. Vale também lembrar de A Idade da Terra, de Glauber Rocha. Filmes com os comediantes do programa dominical Os Trapalhões levam milhares de crianças aos cinemas. Foi o caso de Os Mosqueteiros Trapalhões.

Beneficiado com a Lei da Anistia, o ativista político Fernando Gabeira causou furor nas praias (veja adiante) e nas livrarias brasileiras. Dois livros de sua autoria estiveram entre os mais vendidos naquele ano: O Que é Isso, Companheiro? e O Crepúsculo do Macho. Os lançamentos de maior aceitação nas bancas de jornais foram as coleções em fascículos Nosso Século e Vida Íntima, ambas da Abril Cultural.

Mil novecentos e oitenta foi o ano dos modismos. Foram tantas as modas, os modismos e as manias que é impossível citar uma por uma. Uma delas foi o windsurf (pranchas com velas que apareceram até na abertura da novela Água Viva) e a outra, os patins. Até Rita Lee apareceu patinando no vídeo clipe da música Lança Perfume. Olivia Newton-John também dançou sobre quatro rodinhas no musical Xanadu.

Os modismos mais polêmicos foram a tanga e o topless. De repente, alguns homens apareceram nas praias usando minúsculos peças no lugar do calção – um deles foi o ativista Fernando Gabeira. O escândalo foi enorme. As mulheres dispensaram os sutiãs e apareceram sem a parte de cima nas areias cariocas. Outro escândalo de grandes proporções. Até a Igreja Católica protestou. Várias mulheres sofreram agressões físicas. As tangas e os topless desapareceram das praias num piscar de olhos.

Entre as meninas, o que pegou mesmo foram as sandálias plásticas Melissa. Cinzas, rosas, verdes ou roxas, a Melissa era uma sandália transparente fabricada pela Grendene. Ela chegou a virar peça de colecionadoras. Com a aceitação do mercado, a Grendene lançou diversas linhas de produtos com a marca Melissa.

Os meninos curtiram especialmente a bicicleta BMX, da Monark. Os brinquedos Genius e Ar-Tur (um robozinho ativado via controle remoto) também fizeram bastante sucesso entre eles. Os mais velhos gostaram especialmente dos fascículos sobre sexo Vida Íntima.

Não podemos esquecer do álbum de figurinhas A Turma do Paulistinha, um mega-sucesso no estado de São Paulo. Lançado pela Secretaria da Fazendo do estado, o álbum não precisava ser comprado. Bastava juntar um determinado valor em notas fiscais para trocá-las pelo álbum ou pelas figurinhas. E o que é melhor: os colecionadores podiam ganhar prêmios, que iam de jogos de tabuleiro a automóveis.



04/03/15

15 CURIOSIDADES E SEGREDOS DA ROMÂNTICA VENEZA


Veneza é uma cidade do Vêneto, uma região localizada no nordeste da Itália. O Vêneto é a quarta região mais povoada da Itália. Fica perto das fronteiras da Eslovênia e da Áustria.

Além do italiano, a população fala o vêneto, um dialeto de origem latina.

Veneza foi por mais de mil anos capital da República de Veneza – ou Sereníssima República de Veneza –, uma república independente do restante da Itália. A sua maior fonte de renda foi durante muito tempo o comércio marítimo com o oriente.

Veneza é formada por 117 ilhas, que são recortadas por 115 canais com 409 pontes.

A cidade afundou quase 23 metros nos últimos 100 anos. Com isso, aumentaram as enchentes e os problemas por elas provocados. Em certas épocas, turistas e locais são obrigados a caminhar com água até os joelhos.

Veneza é uma das cidades globais mais vulneráveis à elevação do mar. Se ocorrer uma elevação brusca dos oceanos, ela simplesmente pode desaparecer sob o mar Adriático. Outras cidades ameaçadas ao redor do mundo são a norte-americana Nova Orleans, a tailandesa Bangkok e a holandesa Roterdã.

A população veneziana diminuiu bastante nos últimos anos. Se continuar assim, a tendência é que em 2030 ela seja habitada apenas por turistas.

Por falar em turistas, você sabia que ela recebe 60 mil visitantes por dia?

Além das famosas gôndolas, os canais são cortados por barcos particulares de todos os tamanhos. Existem até barcos-ônibus e táxis aquáticos, que percorrem diversas ilhas de Veneza.

Uma das ilhas mais famosas de Veneza é Murano. Com cerca de 50 mil habitantes, Murano é famosa pelos requintados trabalhos em vidro. Uma das maiores atrações é o Museu do Vidro, onde os visitantes podem admirar peças feitos pelos artesãos da ilha ao longo dos últimos séculos.

Um dos mais antigos e tradicionais carnavais de que se tem notícia é o de Veneza. Acredita-se que ele tenha começado no século 13. O que mais chama a atenção dos turistas são as máscaras dos foliões. Os brasileiros costumam notar o excesso de roupa dos mascarados, isso porque o carnaval veneziano ocorre durante o inverno.

A Praça de São Marcos é, sem dúvida, o local que recebe o maior número de turistas. Não sem motivos. Além de abrigar restaurantes sofisticados e lojas de grife, ela é endereço da Basílica de São Marcos. Construída há mais de mil anos, ela abriga os supostos restos mortais do santo que dá nome ao lugar.

A cidade sedia dois eventos mundialmente conhecidos: o Festival de Cinema de Veneza e a Bienal de Arte de Veneza. O prêmio máximo do Festival de Cinema de Veneza é o Leão de Ouro. Ele é mais antigos do que os festivais de Berlim e de Cannes.

Por último, uma dica para quem pretende conhecer a cidade: é possível navegar pelos canais de Veneza através do Google Maps.



Fontes: Wikipédia, Mundo Estranho, Viagem e Turismo, Terra, National Geographic, UOL. 

03/03/15

18 CURIOSIDADES SOBRE AS PIRÂMIDES DO EGITO


A egípcia não foi a única civilização a construir pirâmides. Existem pirâmides em vários países – Sudão, México, Guatemala, Peru, Grécia e China –, construídas pelas mais diversas civilizações. As mais famosas fora do Egito são as pirâmides maias, localizadas no México e na Guatemala.

Existem cerca de 110 pirâmides conhecidas no Egito. O país com o maior número de construções desse tipo, no entanto, é provavelmente o vizinho Sudão – chamado na antiguidade de Núbia –, com cerca de 220 pirâmides.

Ao contrário do que se imagina, a palavra pirâmide não provém da antiga língua egípcia. Ela foi formada a partir das palavras gregas “pyra” (que significa luz, fogo) e “midos” (cujo significado é medidas).

Por que os três grandes – e mais famosos, devemos reconhecer – monumentos são chamados de pirâmides de Gizé? Por estarem localizados no planalto de Gizé, na periferia do Cairo, capital do moderno Egito. Gizé é também uma cidade da região metropolitana da Grande Cairo.

Queóps, Quéfren e Miquerinos foram pai, filho e neto.

A mais famosa pirâmide egípcia é a de Khufu – ou Quéops, seu nome em grego. Construída em 2.550 a. C., ela é a única das Setes Maravilhas do Mundo antigo que permanece de pé.

A grande pirâmide foi por mais 2.000 anos a maior construção do mundo. Só foi superada em 1.311 com a construção da catedral de Lincoln, na Inglaterra.

A pirâmide de Khufu possui 230 metros de comprimento de cada lado e 146 metros de altura. Ela pesa 5 milhões de toneladas.

Você teria que caminhar cerca de 1 quilômetro para dar a volta na grande pirâmide. Se tentasse ir ao topo, escalaria uma altura equivalente a um edifício de 40 andares.

A pirâmide esconde um complexo sistema de labirintos, alguns muitos estreitos. Existem também diversas câmaras sem saída. Acredita-se que poderão haver ainda outras galerias desconhecidas.

O tamanho dos blocos da grande pirâmide varia bastante, mas a média é de 2,5 toneladas. O maior bloco pesa 80 toneladas. Ao todo, foram usados 2,3 milhões de blocos na construção.

O granito utilizado na decoração da câmara do rei – ou seja, do local onde ele foi sepultado –, foi extraído da pedreira de Assuã, a 800 quilômetros do local onde a pirâmide foi erguida.

Não deve ter sido fácil transportar blocos de 2,5 toneladas até a grande pirâmide. Os egípcios, no entanto, tinham um truque só recentemente descoberto pela ciência. Eles transportavam os blocos em trenós. A frente curva do trenó diminuía o atrito com a areia do deserto, que era molhada para facilitar o seu deslizamento.

As grandes pirâmides não foram erguidas por escravos, mas por trabalhadores livres. Evidências colhidas nas proximidades desses monumentos indicam que elas foram construídas por 10 mil pessoas, que recebiam 21 vacas e 23 cordeiros diariamente para as suas refeições. O pagamento era feito com pão e cerveja.

Não se sabe ainda de quem é o rosto da esfinge localizada a poucos metros do complexo piramidal, mas é cada vez maior o consenso de que seja do faraó Queóps.

Ninguém sabe quem destruiu o nariz da esfinge. Algumas lendas dizem que ele teria sido arrancado por balas de canhão da artilharia de Napoleão, ou também por tropas britânicas.

Todas as pirâmides do Egito foram erguidas na margem oeste do Rio Nilo, na mesma direção do sol poente. Os egípcios acreditavam que os faraós se juntariam ao Sol ao serem enterrados daquele lado. Para eles, o Sol representava uma divindade chamada Rá.

Algumas pessoas acreditam que, em virtude da complexidade e tempo exigidos na construção, as pirâmides foram erguidas com o auxílio de alienígenas. É o caso do ufólogo suíço Erick Von Däniken, que propagava que não só as grandes pirâmides, mas muitos monumentos da antiguidade tiveram uma mãozinha de Ets.


Fontes: BBC Brasil, National Geographic, Mundo Estranho, Wikipédia, Hypescience, Aventuras na História.


02/03/15

AS 100 FOBIAS MAIS BIZARRAS QUE EXISTEM


A fobia é basicamente um transtorno de ansiedade. As mais comuns são as fobias sociais, ou seja, o medo de gente. Podem ser classificadas como fobias sociais a agorafobia (medo de multidões, de convívio social) e a glossofobia (medo de falar em público).

Existem ainda as chamadas fobias simples, que são fobias de animais, ambientes, situações, coisas e outros tipos (medo de contrair doenças, por exemplo).

Sabe-se que quase todas as pessoas desenvolvem algum medo incomum pelo menos uma vez ao longo da vida. Não existe, no entanto, um consenso sobre quantas sofrem de medos persistentes. Acredita-se que seja entre 16% e 20% da população.

Uma das mais bizarras fobias que existem é a caetofobia, ou seja, o medo de pessoas peludas ou com cabelos compridos. Além de evitar pessoas com muitos pêlos no corpo, os portadores desse tipo de fobia costumam cortar os próprios cabelos bem baixinhos.

A pogonofobia é parecida com caetofobia. A diferença é que as pessoas com pogonofobia tem medo apenas de bigodes, cavanhaques e barbas.

Conhecida como chiclefobia, essa fobia é características de pessoas que tem aversão a chicletes. Elas não suportam ver pessoas mascando ou fazendo bolas com gomas de mascar. Uma pessoa famosa que tem esse tipo de fobia é a apresentadora norte-american Oprah Winfrey.

A hipopotomonstroesquipedeliofobia é simplesmente o medo de palavras longas (como o próprio nome da fobia). Pessoas com esse tipo de fobia tem, no fundo, receio de passar ridículo ao pronunciar palavras difíceis e desconhecidas.

Existem pessoas que tem horror a umbigos. Elas nem ao menos conseguem olhar para a barriga de alguém e ver aquele buraquinho no meio. Esse tipo incomum de fobia é chamado de onfalofobia.

A caligenofobia é um medo exclusivo de pessoas do sexo feminino. Eles tem receio de interagir – e, em muitos casos, de encostar – com mulheres bonitas.

Pessoas com a bizarra ombrofobia tem receio de chuva. Elas odeiam tempestades e suas consequências: ventanias, raios e enchentes. Acham que podem ser fatalmente atingidas por um raio ou morrer durante uma enchente.

Você já viu alguém ter medo de frutas, verduras e legumes? Pois os portadores da lachanofobia tem. Eles evitam comer vegetais e, em alguns casos, tem pavor até de imagens que lembrem maçãs, cenouras e alfaces.

Acredite se quiser, mas existem pessoas que tem medo de sentir cócegas com penas. Elas transpiram só de pensar na possibilidade de alguém fazer isso, talvez em virtude de algum trauma na infância. A fobia de cócegas com penas é chamada de pteronofobia.

Os portadores de mageirofobia certamente não participariam desses reality shows sobre culinária. Além de sentir pavor de cozinheiros – ainda que seja a sua avó – , eles tem medo de fogões, panelas e tudo o que lembre cozinhas.

A abumlofobia é simplesmente o medo racional de andar. As pessoas com esse tipo de distúrbio não gostam de caminhadas, passeios e outros tipos de atividade ao ar livre.

Um medo muito comum em crianças é a courofobia, a fobia a palhaços. Algumas crianças chegam a entrar em pânico quando encontram palhaços em festinhas e peças teatrais.

A eisoptrofobia é o medo de espelhos. Os portadores desse tipo de receio tem, na verdade, medo do sobrenatural. Elas temem ver em reflexos e espelhos criaturas sobrenaturais como fantasmas e demônios.

O medo irracional de que balões (ou bexigas, que são muito usadas em decoração de festas) estourem é chamada de globofobia.

Uma das fobias mais estranhas que existem é a panofobia que é simplesmente o medo de quase tudo: de pessoas, de borboletas, elevadores, dentias, cores brilhantes, correntes de ar etc. Quem alega ter panofobia é o ator e diretor norte-americano Woody Allen.

LISTA DE FOBIAS EXÓTICAS:

Aeroacrofobia — medo de lugar aberto e alto; 
Ablepsifobia – medo de ficar cego;
Ablutofobia – medo de tomar banho;
Acluofobia – medo exagerado da escuridão;
Acrofobia – medo de altura;
Aerocrofobia – medo de lugar aberto e alto;
Aerodromofobia — medo de viagens aéreas;
Aerofobia — medo de ventos, engolir ar ou aspirar substâncias tóxicas;
Afefobia — medo de ser tocado;
Agorafobia  — medo de lugares abertos, de multidões, de lugares públicos;
Agirofobia — medo de ruas ou cruzamento de ruas;
Amatofobia — medo de poeiras; 
Ancraofobia ou Anemofobia — medo de correntes de ar; 
Anatidaefobia — medo de ser observado por patos; 
Antofobia — medo de flores;
Astrofobia ou astrapofobia — medo de trovões e relâmpagos; 
Autofobia — medo de si mesmo ou de ficar sozinho (é também chamada de isolofobia); 
Botanofobia — medo de plantas 
Catisofobia — medo de sentar-se; 
Corofobia — medo de dançar; 
Coitofobia — medo ou aversão à sexo; 
Cromofobia ou cromatofobia — medo de cores; 
Cronomentrofobia — medo de relógios; 
Clinofobia  — medo de cama, medo de ir para a cama;
Colpofobia — medo de órgãos genitais; 
Coprofobia — medo de fezes; 
Deipnofobia — medo de jantar e conversas do jantar; 
Dendrofobia — medo de árvores; 
Dextrofobia — medo de objetos do lado direito do corpo; 
Disabiliofobia — medo de se vestir na frente de alguém;  
Eleuterofobia — medo da liberdade; 
Emetofobia — medo de vomitar; 
Enosiofobia — medo de ter “cometer pecados” (é também chamado de enissofobia)
Entomofobia — medo de insetos; 
Equinofobia — medo de cavalos; 
Eremofobia — medo de ficar só; 
Escopofobia — medo de estar sendo vigiado; 
Estenofobia — medo de lugares ou coisas muito estreitas; 
Estruminofobia — medo de morrer defecando; 
Fagofobia — medo de engolir; 
Falacrofobia — medo de calvície; 
Fengofobia — medo da luz do dia ou nascer do sol; 
Geliofobia — medo de rir; 
Gerontofobia — medo de idosos; 
Glossofobia — medo de falar em público; 
Hexacosioihexecontahexafobia — medo do número 666, relacionado à besta; 
Hidrofobia — medo de água; 
Hielofobia ou hialofobia — medo de vidro; 
Hobofobia — medo de bêbados ou moradores de rua; 
Iatrofobia — medo de ir ao médico; 
Lactofobia — medo de leite; 
Lissofobia — medo de ficar louco; 
Locquiofobia — medo de nascimento, de crianças muito pequenas; 
Maniafobia — medo de insanidade; 
Melanofobia — medo da cor preta; 
Melofobia — aversão ou ódio de música; 
Mirmecofobia — medo de formigas; 
Motefobia — medo de borboletas e mariposas; 
Musofobia ou murofobia — medo de ratos;
Narigofobia – medo de narizes, de pessoas com narizes grandes;
Obesofobia ou pocrescofobia – medo de ganhar peso;
Odontofobia – medo de dentistas;
Olfactofobia – medo de cheiros;
Onomatofobia – medo de escutar certas palavras ou nomes;
Octofobia – medo do número 8;
Pedofobia – medo de crianças;
Penterobfobia – medo da sogra;
Ripofobia – medo de defecar;
Selenofobia – medo da Lua;
Siderofobia – medo de estrelas;
Sinistrofobia – medo de coisas do lado esquerdo, mão esquerda;
Talefobia – medo de ser enterrado vivo (é chamado também de tafobia);
Talassofobia – medo do mar;
Teatrofobia – medo de teatros, salas de espetáculos;
Telenofobia – medo de telefone;
Teofobia – medo de religiões e divindades;
Teratofobia – medo de pessoas com deformações;
Termofobia – medo do calor;
Tetrafobia – medo do número 4;
Triscaidecafobia – medo do número 13;
Unatractifobia – medo de pessoas feias;
Uranofogia – medo do céu;
Uiofobia – medo dos próprios filhos;
Xantofobia – medo de coisas da cor amarela;
Zoofobia – medo de animais.


Fontes: Mente e Cérebro, Mundo Estranho, Wikipédia, Hypescience, Fatos Desconhecidos, Super Interessante, Galileu.


27/02/15

16 COISAS QUE VOCÊ NÃO SABIA SOBRE CADÁVERES


Quando uma pessoa morre, o último sentido a fenecer é a audição. O primeiro costuma ser a visão, seguida do paladar, do olfato e do tato.

Os olhos ganham uma tonalidade amarelada e uma aparência cristalina após a morte.

Acredite se quiser, mas o corpo continua soltando gases até 3 horas depois da morte.

O cheiro do corpo muda de acordo com o tipo de morte. Os remédios recebidos por uma pessoa que passou muito tempo numa UTI, por exemplo, influenciam bastante o odor do cadáver.

O estado dos órgãos depende muito da causa da morte. O pulmão de uma pessoa que morreu de enfisema, por exemplo, pode ter uma textura parecida com favos de mel. A meningite pode deixar o cérebro amarelado e pesado.

O corpo humano demora meses para se decompor. Hoje em dia, porém, a decomposição é mais lenta devido aos conservantes contidos nos alimentos. 

Assim que para de circular, o sangue perde oxigênio e começa a escurecer. A coagulação ocorre em até 12 horas. Por fim, o sangue se concentra nas extremidades do corpo como pés e mãos.

As unhas e os cabelos não sabem que o sangue parou de circular e continuam crescendo em até 24 horas após a morte.

O que faz o cadáver ficar rígido depois da morte é o acúmulo de cálcio nos músculos. Ao contrário do que dizem, não é preciso quebrar os ossos para esticá-lo. Basta dar um puxão nos membros que eles ficam na posição que você desejar.

O corpo é imediatamente consumido por animais e bactérias após a morte. As primeiras bactérias a devorá-lo são, acredite se quiser, as do próprio corpo, como as da mucosa respiratória e do trato intestinal.

O primeiro inseto a descobrir um cadáver é quase sempre a mosca. Detalhe: em países quentes como o Brasil, o cadáver é consumido por 60 espécies de insetos.

Além de fezes e alimentos, moscas depositam seus ovos em cadáveres etc. Uma fêmea bota em torno de 120 ovos, todos com menos 1 milímetros.

O estágio de desenvolvimento das larvas de moscas pode ajudar os peritos a descobrir o chamado “intervalo pós-morte”, ou seja, o tempo decorrido entre a morte de uma pessoa e a descoberta do corpo.

Existem dois tipos de patologistas: os histopatologistas e os patologistas forenses. Enquanto os primeiros investigam as causas das mortes naturais, os segundos investigam as mortes violentas. Eles trabalham separados na investigação da morte de adultos, mas juntos nas mortes de crianças.

Os corpos mumificados mais antigos de que se tem notícia foram preservados por processos químicos naturais, não por métodos artificiais. Alguns desses processos: ausência de oxigênio, acidez da água, clima seco e temperaturas extremamente baixas.

Caso todos os seus órgãos sejam doados, uma única pessoa com morte encefálica é capaz de ajudar 25 pessoas.

O tempo de retirada do coração, pulmão e pâncreas de uma pessoa com morte encefálica e implantação noutra viva nunca pode ultrapassar quatro horas. Alguns órgãos, no entanto, resistem mais tempo fora do corpo. É o caso do fígado, que pode resistir por até 24 horas.


Fontes: Wikipédia, BBC Brasil, Mundo Estranho, Hypescience.